Scroll with your mouse or arrow keys to see more!

Okay
Sentir é pensar sem ideias e por isso é compreender.” Fernando Pessoa
“Uma vida é curta para mais de um sonho.” Leminski
Deixei uma ave me amanhecer. "Manoel de Barros"

Vozes

Como instauramos uma oportunidade narrativa para que possam aparecer múltiplas linguagens que falem sobre os processos de saúde? No terreno por onde transitam os pacientes nos hospitais, seus quartos repletos de aparelhagens e tecnologias guardam silenciosas experiências. Em geral, o que for narrado pelo paciente, terá um lugar de registro cientifico que se rearticulará dentro de um plano de expressão médico organizado.

Sussurros de vida tornam-se diagnósticos de depressão, síndrome do pânico e tantos outros que, agora, codificados se inserem em um tempo relativo à lógica operativa da medicina, minimizando a perspectiva do corpo como um mapa de mundo e fazendo-o responder á uma linha de conduta operativa da doença: consultas, exames, diagnósticos prescrições e medicações.

Então, como devolver para a cena dos espaços de saúde a força das narrativas de pacientes? Como fazer para que essas narrativas possam adentrar um plano de expressão que alimente a prática médica em seu princípio fundamental de cura? Como propiciar espaços para que pacientes e profissionais possam viver o campo relacional como um lugar de potência para cultivar saúde? Habitar o outro e a si mesmo através de histórias de vida, esta é a proposta de Projeto Vozes.

O Projeto Vozes é um espaço para você deixar o relato sobre sua experiência relacionada a algum episódio de doença, hospitalização, recuperação. Um espaço para contar sobre suas descobertas, aprendizados, relação com profissionais de saúde, importância da família ou outro tema ligado a esta etapa de vida.

A memória não é um órgão de mera recomposição dos fatos, com o qual pretendemos fixar o que já passou. Na memória, o passado se modifica constantemente.

É um processo progressivo, vivo, narrativo que se difere do armazenamento de dados. Cada relato ensina a outros o que se pensa e leva a aprender com outros o que é pensado. Essa simplicidade é sua verdadeira força.

Acreditamos que compartilhando estes temas estaremos estimulando descobertas sobre como desenvolver saúde, estaremos colaborando com outras pessoas que estejam atravessando momentos similares e poderemos inspirar o aprendizado de profissionais de saúde sobre a arte do encontro com o paciente.

Aqui estão algumas dicas para você enviar seu vídeo e sua VOZ, com a narrativa da sua experiência. Muita coisa aconteceu durante todo esse processo de recuperação, não é mesmo? Conte sua história: como tudo aconteceu, sua relação com os profissionais de saúde, o papel da sua família e amigos, os aprendizados e transformações no seu modo de viver, momentos marcantes, o que o fortaleceu, e tudo mais que estiver vivo na sua cabeça. Mas, acima de tudo, sinta-se à vontade e bem- vinda(o). Juntos estaremos oferecendo este rico conteúdo – que não consta nos livros de medicina – como fonte de conhecimento para promover a “ética do encontro” entre profissionais de saúde e pacientes.